Sou da duvida a pergunta, não a resposta... e isso por si só me basta! Não sou um ponto de ?interrogação? Mas, uma pausa no tempo... onde as reticências recitam poesia...

"Sou gaúcha é isso é certo, traga a chama da emoção o amor por está terra... honrando sua tradição!"


quarta-feira, 28 de abril de 2010

Escrever

















Escrever

Escrevo no papel
Apenas escrevo ao léu,
Palavras e mais palavras
Assim escrevo no papel,
Segredos do coração,
Confissões registradas
Com aval da mente,
Que grifa os sentimentos
Com palavras simplesmente.

Coragem


Coragem


Chore suas magoas e paixões,
Grite ao mundo, que você amou...
Que são tuas as desilusões,
Controle o choro e ria
Dos que te olham com pena,
Eles carregam no peito, só covardia...
E você, tristezas e alegrias.


sábado, 17 de abril de 2010

















Corpo e alma

Sou como um belo jardim de flores do campo
Cercado por uma bela cerca de madeira
Toda pintada de branco...

No jardim à vida tem razão pra existir
Pra alegrar os olhos de quem o refletir,
Das margaridas o perfume, impossível confundir
Que mesmo longe dali é capaz de se sentir.

A cerca é a moldura de paisagem tão serena
Contida em seu jardim...
A alma dentro de mim.

Um dia, toda amadeira perecerá
Por mais cuidado que se tenha
Por melhor que seja a lenha,
Um dia se extinguirá.

O jardim não mais contido
Pela cerca de madeira,
Lançará ao vento seu pólen
Fecundará outra terra,
-Viverá em outro jardim-

A moldura será outra
Branca, amarela, vermelha
Outra, bela cerca de madeira!

Que emoldura o jardim
Que hoje...
Desabrocha dentro de mim!