Sou da duvida a pergunta, não a resposta... e isso por si só me basta! Não sou um ponto de ?interrogação? Mas, uma pausa no tempo... onde as reticências recitam poesia...

"Sou gaúcha é isso é certo, traga a chama da emoção o amor por está terra... honrando sua tradição!"


DROGAS NEM PENSAR


Dependência Química

As drogas acionam o sistema de recompensa do cérebro, uma área encarregada de receber estímulos de prazer e transmitir essa sensação para o corpo todo. Isso vale para todos os tipos de prazer (temperatura agradável, emoção gratificante, alimentação, sexo) e desempenha função importante para a preservação da espécie.

Evolutivamente o homem criou essa área de recompensa e é nela que as drogas interferem. Por uma espécie de curto circuito, elas provocam uma ilusão química de prazer que induz a pessoa a repetir seu uso compulsivamente. Com a repetição do consumo, perdem o significado todas as fontes naturais de prazer e só interessa o prazer imediato propiciado pela droga, mesmo que isso comprometa e ameace sua vida.

Vários são os motivos que levam à dependência química, mas o final é sempre o mesmo. De alguma maneira, as drogas pervertem o sistema de recompensa. A pessoa passa a dar-lhes preferência quase absoluta, mesmo que isso atrapalhe todo o resto em sua vida. Para quem está de fora fica difícil entender por que o usuário de cocaína ou de crack, com a saúde deteriorada, não abandona a droga. Tal comportamento reflete uma disfunção do cérebro. A atenção do dependente se volta para o prazer imediato propiciado pelo uso da droga, fazendo com que percam significado todas as outras fontes de prazer.

À medida que os usuários se submetem aos intensos efeitos das drogas, vão se psicoadaptando a eles e, vão perdendo o prazer pelos pequenos estímulos da vida diária. Com o decorrer do tempo eles se tornam infelizes, com grande dificuldade de sentir prazer. Isso desencadeia o uso cada vez mais constante, e como o organismo vai criando tolerância, são necessárias doses cada vez maiores para conseguir o mesmo efeito.

Os usuários de drogas, se comportam como se fossem super homens, pois não medem esforços para conseguirem sua droga de preferência, até mesmo colocando suas vidas em risco para consegui-la. Mas no fundo são pessoas muito frágeis, pois não suportam qualquer tipo de sofrimento. A dor emocional é insuportável para eles, por isso buscam uma nova dose da droga para aliviá-la.

No início usa para sentir prazer, mas quando a dependência se instala o uso é para aliviar a dor.

Por isso muito usuários usam drogas como tranquilizantes e antidepressivos, quanto mais se envolvem nesse círculo vicioso mais se deprimem. Quanto mais fogem da solidão, mais se isolam de tudo e de todos.

Como o efeito das drogas principalmente os efeitos "positivos" ficam registrado na memória do dependente, seu cérebro está condicionado a sempre buscar essas sensações de prazer. Por isso o tratamento é tão difícil e muitos tem recaídas após experimentarem até mesmo longos períodos de abstinência. Seu cérebro vai puxar o gatilho para reviver as mesmas sensações, principalmente quando acontecerem situações em que o dependente não conseguir lidar com elas.

Como as drogas agem na região de prazer do cérebro é importante que o dependente ache outras formas de sentir prazer, senão ficará infeliz e voltará ao uso.


Uma doença 

A Organização Mundial de Saúde reconhece as dependências químicas como doenças. Uma doença é uma alteração da estrutura e funcionamento normal da pessoa, que lhe seja prejudicial. Por definição, como o diabetes ou a hipertensão, a doença da dependência não é culpa do dependente; o paciente somente pode ser responsabilizado por não querer o tratamento, se for o caso. Exatamente da mesma maneira que poderíamos cobrar o diabético ou o cardíaco de não querer tomar os medicamentos prescritos ou seguir a dieta necessária. Dependência química não é simplesmente "falta de vergonha na cara" ou um problema moral.


Uma doença incurável

O dependente químico, esteja ou não em recuperação, esteja ou não bebendo ou usando outras drogas, sempre foi e sempre será um dependente. Não existe cura para a dependência: nunca o paciente poderá beber ou usar outras drogas de maneira controlada. Assim como o diabetes, não existe cura: sempre será diabético ou dependente.


Existe tratamento

Apesar de nunca mais poder usar álcool ou outras drogas de maneira "social" ou "recreativa", da mesma maneira que um diabético nunca vai poder comer açúcar em quantidade, o dependente, se aceitar e realmente se engajar no tratamento, pode viver muito bem sem a droga e sem as conseqüências da dependência ativa. É importante notar que qualquer avanço em termos de recuperação depende de um real e sincero desejo do paciente: ninguém "trata" o dependente se ele não quiser se tratar.


Afeta toda a família

O convívio com o dependente faz com que os familiares adoeçam emocionalmente, sendo necessário que o familiar também se trate, e, ao mesmo tempo, receba orientações a respeito de como lidar com o dependente, como lidar com seus sentimentos em relação ao dependente, o que fazer, o que não fazer, e sobre como proteger a si e aos demais membros da família de problemas emocionais causados pela doença do dependente.

Muitas vezes, os familiares se assustam quando a gente fala que também eles necessitam de tratamento; ninguém quer ser chamado de doente. No entanto, todos os familiares de dependentes que encontramos durante nossa vida profissional nos relataram pelo menos alguma conseqüência ou problema relacionado à dependência de uma pessoa próxima.

Do nosso ponto de vista, quanto mais tempo o dependente e o familiar levarem para admitir a real necessidade de ajuda, maior tempo sofrerão. (Texto site vidas sem drogas)


Codependência

Por causa do envolvimento de toda a família nos problemas do dependente químico, considera-se que o alcoolismo ou o uso nocivo de drogas é uma doença que afeta não apenas o dependente, mas também a família.

Intrigante e até misteriosa, é a aparente perseverança com que alguns familiares, normalmente cônjuges e companheiros(as), se dedicam aos parentes com problemas de dependência química e alcoolismo.

Difícil entender como e porque essas pessoas suportam heroicamente todo tipo de comportamento problemático, ou até atitudes anti-sociais dos companheiros(as), como se assumissem uma espécie de desígnio ou “carma”, para o qual fossem condenados para todo o sempre.

Essas pessoas abrem mão da possibilidade de ser feliz ou de diminuir o sofrimento, permanecendo atreladas à pessoa problemática, suportando toda a tirania de sua anormalidade...


Principais drogas e seu efeito no organismo:

Teste - responda algumas perguntas para saber qual o seu nível de dependência.
click apenas se totalmente sincero com você mesmo. 



      Você não admite ser viciado, não é o único, esta é justamente a parte mais difícil, afinal quando entramos no caminho das drogas é para mostrar que somos livres, que fazemos oque queremos e ai de repente ter que admitir que é dependente, que não existe liberdade, que na realidade estamos presos é, é preciso ser forte, pois a verdade é que todo o usuário é um dependente e você não é diferente, duvida? ok! Vamos fazer um teste simples, diga para as drogas que é você quem manda, estipule um prazo para ficar limpo, o máximo você decide o minimo é de uma semana; besteira? É você pode pensar isso e fechar a pagina, mas vai estar fugindo, qual vai ser? Corajoso ou covarde, é está a primeira resposta que você vai ter que se dar, sim se dar porque isso aqui é com você, o teu oponente é você mesmo!
     Bom se você ainda esta lendo é porque temos um trato, maravilha o primeiro passo foi dado, se conhecer saber realmente quem é você, parabéns! 
        Agora estipule o tempo conforme o uso que você faz, se você usa drogas apenas nos finais de semana, estão estipule 10 dias, do contrario se o uso é mais frequente opte por 7 dias, mas seja qual for a meta que você se determinar, faça de tudo para cumprir, quanto mais difícil ficar mais força você tem que ter. 

"Usar drogas não é um ato de rebeldia é sim um ato de estupidez, pois você só destrói a tua vida e a dos que te amam, pedir ajuda não é um ato de fraqueza é um ato de sabedoria, pois sábio é o guerreiro que reconhece a força do inimigo e fortalece suas defesas!" 



Drogas - onde obter ajuda e orientação?


Viva Voz: O serviço Viva Voz foi concebido pela Secretaria Nacional Antidrogas (SENAD), em conjunto com a Fundação Faculdade de Ciências Médicas de Porto Alegre, o Sebrae-RS e o Sesi-RS. É uma central telefônica, aberta à população em geral, com orientações e informações sobre as características das drogas psicoativas, sua ação no organismo e também sobre prevenção ao uso e os recursos disponíveis na comunidade para quem precisa de algum tipo de atenção. Os atendentes passaram por um período intenso de capacitação e durante o atendimento são ininterruptamente supervisionados por profissionais, mestres e doutores, da área de saúde. Além de orientar e informar às pessoas que ligam, eles alimentam um banco de dados que, futuramente, poderá ser usado como fonte para estudantes, professores e profissionais de saúde. 

Telefone: 0800 510 0015
Viva Voz:
-Serviço aberto para toda a população;
-Totalmente gratuito;
-Não é preciso se identificar;
-Profissionais de Recursos Humanos, Saúde Ocupacional e Segurança do -Trabalho também podem tirar suas dúvidas;
-Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 24h



NARCÓTICOS ANÔNIMOS

NA é uma Irmandade ou sociedade sem fins lucrativos, de homens e mulheres para quem as drogas se tornaram um problema maior. Somos adictos em recuperação, que nos reunimos regularmente para ajudarmos uns aos outros a nos mantermos limpos. Este é um programa de total abstinência de todas as drogas. Há somente um requisito para ser membro, o desejo de parar de usar. Sugerimos que você mantenha a mente aberta e dê a si mesmo uma oportunidade. Nosso programa é um conjunto de princípios escritos de uma maneira tão simples que podemos segui-los nas nossas vidas diárias.

http://www.na.org.br/



NA - Narcóticos Anônimos - RS

Grupos familiares Nar-Anon: Quando o assunto é drogas a família precisa de ajuda tanto de ajuda quanto o dependente.

http://www.naranonsp.org.br/


ABRAFAM - Associação Brasileira de apoio as famílias de Drogadependentes.
http://abrafam.org.br/


ALCOÓLICOS ANÔNIMOS – AA
É uma irmandade de homens e mulheres que compartilham suas experiências, forças e esperanças, a fim de resolver seu problema comum e ajudar outros a se recuperarem do alcoolismo. O único requisito para se tornar membro é o desejo de parar de beber. Para ser membro do AA não há taxas ou mensalidades. Os grupos sâo auto-suficientes, graças às suas próprias contribuições. Não está ligada a nenhuma seita ou religião, nenhum partido político, nenhuma organização ou instituição; não apóia nem combate quaisquer causas. O propósito primordial para os membros é de se manterem sóbrios e ajudar outros alcoólicos a alcançarem a sobriedade. As reuniões em seus dias e horários são informados em cada grupo (a seguir alguns grupos relacionados por regiões da capital e região metropolitana).Mais informações:
São Paulo:
www.alcoolicosanonimos.org.br

Rio Grande do Sul:
http://www.aars.org.br/aaII/index.php


AL-ANON SP
http://alanonsp.com.br/index.php?
PrevFumo - O PrevFumo (Núcleo de Apoio à Prevenção e Cessação do Tabagismo) é o braço preventivo do Centro de Reabilitação Pulmonar. Foi fundado em 1990, pelo Professor Doutor José Roberto Jardim, seu atual Diretor.

O PrevFumo recebe mensalmente visitantes de diversas partes do país para participar do Estágio de Formação de Intervencionistas. Todos estes profissionais (médicos, fisioterapeutas, psicólogos, enfermeiros e outros) e os residentes do Programa de Saúde da Família da UNIFESP participam diretamente nas atividades científicas e assistenciais.
Centro de Reabilitação Pulmonar UNIFESPLar Escola São Francisco
Endereço: Rua dos Açores, 310 - Jardim Lusitânia São Paulo - SP
Fax: (11) 5572 4301


Fumantes Anônimos - FA
Site:www.fumantesanonimos.com.br



  • Não espere chegar nesse ponto, procure ajuda agora, quanto mais sedo melhor. Lei da internação involuntária, a ultima alternativa para familiares desesperados.

Lei federal autoriza internação involuntária de usuários de drogas.


Quando o usuário de droga não aceita tratamento, “a família tem o direito – garantido por lei federal – de recorrer à internação involuntária”, explica a psicóloga Ana Laura Parlato, diretora da Clínica Viva, http://www.clinicaespecializadaviva.com.br, e integrante de Jovem Pan Pela Vida, Contra as Drogas, campanha com apoio da Lincx Sistemas de Saúde e da Sociedade de Pediatria de São Paulo. “Esta internação é indicada quando o dependente químico coloca em risco sua vida e de seus familiares.”

A psicóloga Ana Laura Parlato recomenda:

-esta intervenção deve ser realizada por profissionais qualificados
-exija registros e certificados legais de quem for fazer a remoção
- antes de decidir pela clínica, conheça suas instalações

A psicóloga Ana Laura Parlato descreve as características de quem necessita de internação:

-apresenta sinais físicos e comportamentos de que já está vivendo em função da droga

-negligência total de compromissos sociais, familiares, profissionais ou educacionais

-não consegue mais ficar sem a bebida alcoólica ou outra droga

-enquanto estiver usando droga, vai perdendo a capacidade de decisão

-recusa qualquer possibilidade de ajuda médica

Saiba mais, conheça esta Lei (Fonte jovempan.uol.com.br)

Lei 10.216, de 6 de abril de 2001:



Clinicas de tratamento

RS - Nova esperança - Comunidade terapêutica
http://www.ctnovaesperanca.org.br/index.html#.UqmfQfRDumU

RS - IBOGA SALVA VIDAS
http://www.ibogasalvavidas.com.br/

SP - Comunidade Terapêutica
http://www.ctaltovale.com.br/

SP- Reclin - Centro especializado em dependência quimica
http://www.reclin.com.br/


A informação é a nossa maior arma, abaixo alguns links que recomendo:

Jovem Pan 
http://jovempan.uol.com.br/videos/servicos/campanha-contra-as-drogas/

Depoimentos dramáticos:
http://www.humaniversidade.com.br/boletins/depoimento_crack.htm

Ministério de Intercessão:
http://jesuscristooreidosreis.blogspot.com.br/p/nossa-luta-contra-as-drogas.html

Depoimentos reais em video:
http://www.ctviva.com.br/depoimentos.html

Meu filho(a) está usando drogas o que faço?
http://www.cruzazul.org.br/orientacoes/orient2.htm



       Dependência

Deus nos ajude nesta luta que é dura
Entre drogas e viciados há muitos desesperados
Partes doloridas que latejam por toda a vida
Eternamente alerta requer muito esforço
Não há saída fácil, lutasse todos os dias mais um pouco
De fato a vida tornasse um fardo
Exaurido o corpo, a alma e o coração
Na luta pela libertação, na busca da salvação
Caímos e levantamos, diariamente lutamos!
Implícita em cada passo, -um dia de cada vez-
Abstinência controlada, mas nunca ignorada!


Acróstico parte do livro Nas asas da Borboleta.
                                           Inoema Jahnke.



Preserve a liberdade, drogas nem pensar!

                                             
Existem pessoas prontas a ajudar, serviço aberto para toda a população; totalmente gratuito; não é preciso se identificar. ligue -  0800 510 0015