Sou da dúvida a pergunta, não a resposta... e isso por si só me basta! Não sou um ponto de ?interrogação? Mas, uma pausa no tempo... onde as reticências recitam poesia...

"Sou gaúcha é isso é certo, traga a chama da emoção o amor por esta terra... honrando sua tradição!"


segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Um estranho...





Um estranho

Olho as pessoas a meu redor
Indo e vindo sem parar.

Pra todo o lado que olho
A pressa está presente,
Conduzindo com urgência
A vida de tanta gente.

Olho o mendigo na rua
A persistir em sua luta,
De olhar, sem ser notado
Pra ganhar alguns trocados.

Olham apenas os centavos
Ofertados ao coitado,
Nessa terra de ninguém
Nesse mundo abandonado.

Nessa multidão de estranhos
Há quem pense como eu,
Que se pergunte por um instante
Quem passou?... Quem eu sou?






“Quisera eu conhecer profundamente a mim mesma, mas por vezes sequer percebo os musgos que crescem nas paredes da minha alma, alheio ao meu entendimento perturbando minha visão, não são ervas daninhas, mas atrapalham a percepção!”