Sou da dúvida a pergunta, não a resposta... e isso por si só me basta! Não sou um ponto de ?interrogação? Mas, uma pausa no tempo... onde as reticências recitam poesia...

"Sou gaúcha é isso é certo, traga a chama da emoção o amor por esta terra... honrando sua tradição!"


quarta-feira, 24 de novembro de 2010

ECOLOGIA - CHORO DA NATUREZA














CHORO DA NATUREZA

Você que usa nosso planeta
Como se fosse tua lixeira,
Destrói a natureza nossa proteção
Dia a dia sem dó no coração.

Destrói matas, seca rios, polui mares
Polui... destrói e nos condena
Que pena!...

Temos que acabar com este circulo vicioso
Que destrói a natureza
Nosso bem mais precioso.

Usamos e abusamos da sua proteção
Desfazemos de suas riquezas,
Matamos suas belezas.

Então..., chora a mãe natureza!

Correm as águas, transbordam os rios
Deslizam montanhas, rolam pedras,
Treme a terra, racha o chão...

Ira sim, mas com certeza
Não da mãe natureza,
Ira do homem contra si,
Ser irracional que causa o próprio mal,

Raios, trovões, relâmpagos
Porque tanto espanto
Com o choro da natureza,

Queriam que ela sofresse calada,
Que não nos cobrasse nada?

Temos que punir os culpados
Desenvolver a consciência da real situação,
Ninguém é vitima totalmente inocente
Foi no mínimo negligente.

Não basta apontar os culpados
E lavra as mãos,
Ser conivente com esta destruição.

Não podemos o passado mudar
Mas devemos sim
-O planeta preservar!-


Poesia de amor - Lasciva -




















Lasciva

Sou madrugada que chora sozinha,
Chuva que se perde em poças
E escorre pelos bueiros
A despertar a madrugada...
Em teus olhos vejo-me refletida
Ofuscada na retina do teu olho
Feito água na poça d’água
Escorrendo no teu corpo...
As linhas que traçam teu rosto
Revelam um sorriso jocoso,
Talvez, teus braços sejam o bueiro
Que desnuda minha alma
E recebe o meu corpo...

Ali, meu corpo se acalma
Repousando no teu peito
Feito rio e leito...



sexta-feira, 19 de novembro de 2010

JANELA DA EMOÇÃO






















Janela da emoção

Beijar eu já beijei
Alguns morrerão na boca
Outros queimarão em vão,
Já dei beijos de despedida
Que marcaram minha vida,
Beijar eu já beijei
Alguns mornos, mas, nunca frios
Uns deram tremedeira, outros arrepio,
...O beijo que não esqueço
Deu choque na janela da emoção
E trancou o amor dentro do meu coração!

Linke creditos da  imagem para;
http://img220.imageshack.us/i/adouradeumbeijo1vn3.gif

terça-feira, 9 de novembro de 2010

BULLYING

BULLYING NEM PENSAR!


















BULLYING

A palavra mal empenhada
É navalha de castração
Lamina afiada
Que retalha sem perdão,

Ferida feita sem sangue
Não cura nem cicatriza,
A marca fica na alma
Ferida para toda a vida,

Nazismo no anonimato
Criminoso sem punição,
Nem percebe que de fato
Machucou um coração,

Quem empenha a palavra
Como se fosse faca
Fere, mutila e até mata,

A marca e permanente
O sofrimento é frequente
Mas é a alma quem fica doente!


Poesia livro/2009 Inoema Nunes Jahnke
Imagens banco de imagens dominio publico

terça-feira, 2 de novembro de 2010

COMPAIXÃO PELA VIDA



Não poderia deixar de compartilhar com vocês (risos)
Obrigado Quiosque azul pelo lindo gif, adorei Renato!


http://www.quiosqueazul.com.br/2010/10/compaixao-pela-vida.html

Um grande beijo no coração de todos vocês, BASTA de violência no trânsito!