Sou da duvida a pergunta, não a resposta... e isso por si só me basta! Não sou um ponto de ?interrogação? Mas, uma pausa no tempo... onde as reticências recitam poesia...

"Sou gaúcha é isso é certo, traga a chama da emoção o amor por está terra... honrando sua tradição!"


quinta-feira, 26 de janeiro de 2012



Tempestade

Forte tempestade
Formou-se sobre mim,
Travões, relâmpagos,
Ventos... Fortes ventos
Balançam minha estrutura,
Minha vida... Minha verdade,
Açoita-me a tempestade,
Relâmpagos, como flash de luz
Lampejam sobre mim,
Iluminam a tempestade a minha volta...
Travões ecoam em meus ouvidos
Quase surdos pela ventania,
Lágrimas e chuva se  fundem
Confundem-se na tempestade,
O farol...
Não posso avistar meu farol,
Tremula meu corpo de frio, de dor
           Tremula minha alma de pavor...

          Meu farol... Não posso avistar meu farol.

          Mais uma antiguinha (risos) desculpem, mas ando meio nostálgica...
          Grande beijos no coração!



Poesia do livro "Imortal"
 publicado em 2008.