Sou da duvida a pergunta, não a resposta... e isso por si só me basta! Não sou um ponto de ?interrogação? Mas, uma pausa no tempo... onde as reticências recitam poesia...

"Sou gaúcha é isso é certo, traga a chama da emoção o amor por está terra... honrando sua tradição!"


terça-feira, 12 de março de 2013

Todos um dia enfrentam o seu maior oponente.



 Tantas vezes no decorrer da vida vamos nos perdendo no caminho, nos esquecendo aos pouquinhos..., ás vezes nem percebemos que nos ferimos, apenas levantamos e seguimos sem dar valor à pedra, culpamos a vida esquecendo que não é ela quem nos conduz; ás vezes adquirimos o hábito de nos negligenciar e acreditamos que abrir mão faz parte da vida e sufocamos sonhos, descartamos alegrias; quando não prestamos atenção em nós por um longo tempo, acabamos por esquecer quem realmente somos,  o que realmente queremos, ai, e só ai a vida na contramão do destino nos faz dobrar uma esquina e esbarrar com nós mesmo, de repente a sombra não está mais a nossos pés, mas em pé a nossa frente e ai, não dá pra desviar, não adianta pedir licença, o único jeito de passar é através, é penetrando na nossa escuridão;  não, não é só dar um passo a frente é preciso coragem para nos olhar nos olhos, tudo o que deixamos na sombra, tudo que ficou escondido, o que não foi resolvido, o que não foi dito, os sonhos abandonados, os machucados aos quais não demos atenção..., tudo está ali ecoando afrontando a razão, assombrando o coração; nem todo mundo consegue dar este passo, alguns simplesmente param de caminhar e se quer percebem que a vida estagnou, outros tentam argumentar consigo mesmo, impor a sua falsa verdade, tentam enganar a realidade, estes vagam anos na escuridão vivendo sempre a sombra de si mesmo, mas há aqueles que diante do inevitável confronto, silenciam as desculpas, escutam os lamentos e questionam a verdade.

“Para se questionar  verdadeiramente, antes 
é preciso silenciar e escutar a si mesmo!”



Palavras, pensamento soltos...


4 comentários:

  1. É mãe, a vida as vezes passa perante aos nossos olhos e de coadjuvantes passamos a meros telespectadores daquilo que decidem e impõem a nós mesmos. Superação, renovação, reativar a vida que outrora ficou estagnada por um ou outro motivo, toda peça de teatro possui um segundo ato quando necessário e na vida, ao acordar para ela, muitas vezes temos tempo de criarmos nosso segundo ato.

    Te amo minha escritora 'mais melhor de boa', hahaha!

    ResponderExcluir
  2. De fato meu amor, estamos continuamente escrevendo a nossa história, mas por vezes temos que parar e ler o que foi escrito... "muitas vezes temos tempo de criarmos nosso segundo ato." Visão madura de uma menina tão jovem, meu orgulho! Te amo, amo, amo!!!

    ResponderExcluir
  3. Concordo plenamente com tua linha de pensamento, porém é difícil enfrentar nossos erros!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não somente os erro, mas acredito que o medo seja o maior oponente a ser enfrentado, os erro mesmo nos machucando, nos prejudicando acabam nós ensinando, já passar a vida escondido com medo de viver, medo de se arriscar; quando a vida nos cobra o ar que respiramos a alma sufocada uma hora implora por atenção e ai, é o medo que justificam os erros , ou os erros que justificam o medo? eu acredito que só é possível acertar nós dando a chance de tentar e os erros fazem parte do aprendizado, já o medo é fantasma que quando nutrido nos assombram a vida inteira!
      Grande abraço minha querida, bjs!

      Excluir