Sou da dúvida a pergunta, não a resposta... e isso por si só me basta! Não sou um ponto de ?interrogação? Mas, uma pausa no tempo... onde as reticências recitam poesia...

"Sou gaúcha é isso é certo, traga a chama da emoção o amor por esta terra... honrando sua tradição!"


terça-feira, 11 de setembro de 2012

Li o que não foi escrito, o que o papel não recolheu, tudo o que a mão não escreveu...
















Li o que não foi escrito...

 ... Nada havia a declarar, nada a registrar,
Apenas li a emoção que negasse aos olhos,
Mas declara-se ao coração.

Li o que não foi escrito, o que o papel não recolheu,
Tudo o que a mão não escreveu...

Ouvi o que não foi dito, o que a boca não preferiu,
... e que mesmo assim não se extinguiu.

Observei a distância...
Prestei atenção na esperança, da palavra escapar,
De talvez um sussurro conseguisse me alcançar.

E pude sentir o amor de longe a me observar
Então, parei o tempo... com medo dele acabar!...