Sou da dúvida a pergunta, não a resposta... e isso por si só me basta! Não sou um ponto de ?interrogação? Mas, uma pausa no tempo... onde as reticências recitam poesia...

"Sou gaúcha é isso é certo, traga a chama da emoção o amor por esta terra... honrando sua tradição!"


terça-feira, 27 de setembro de 2016

Porque viver é sim, enfrentar as tempestades...



        Tem momentos em que um temporal se forma dentro da nós...As fortes rajadas de vento rasgam a pele, os relâmpagos são tão fortes que por instantes perdemos a visão, sem ter como fugir, procuramos o lugar em nós que é mais seguro e suportamos a tempestade.

        Após os trovões e raios vem a chuva e vai, apagando o fogo dos raios, vai lavando as feridas causadas pelo vento...Então, como um tsunami leva tudo que se desprendeu de nós com a força da tempestade...a chuva passa, e despertamos sobreviventes em uma praia bem longe de onde estávamos.

       Solitários, devastados, buscamos no instinto da sobrevivência...força, e mesmo com muita dor ficamos de pé e damos o primeiro passo deixando na areia não lágrimas, mas pegadas, a sensação de devastação só não é mais forte, que a esperança no sol que aponta no horizonte e alimenta a fé de outros dias.

          Após uma tempestade o cenário muda e quem sobrevive ao caus...nunca mais é o mesmo.


Um comentário: