Sou da dúvida a pergunta, não a resposta... e isso por si só me basta! Não sou um ponto de ?interrogação? Mas, uma pausa no tempo... onde as reticências recitam poesia...

"Sou gaúcha é isso é certo, traga a chama da emoção o amor por esta terra... honrando sua tradição!"


terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Face exposta não há como negar a lágrima clandestina que naufraga no olhar...

 

Como explicar quando tudo parece engano? ...

A energia vai se esgotando e não se renovam as forças,
Sorrir fica dolorido e chorar se torna normal,
Será tristeza? Esta angustia que solitária vaga pelo peito...

Não se sabe onde aconteceu, nem quantos cometeu,
Mas percebesse os erros, em devida proporção
Que não só o coração é capaz de medir, mas a alma consegue sentir...

Será tristeza esta dor permanente que parece se divertir com os ais
Latejando em procissão, camuflada aqui e ali vai mudando de direção
Tornando precipitadas as batidas do coração...

De repente feito ave em tempestade sentisse medo de voar,
E percebemos que em algum momento
Perdemos a coragem de andar...

Como aceitar que falhamos que cometemos enganos,
De repente nos vemos refazendo os planos
Remendando os sonhos... descartando os enganos.

De repente sentisse sede, sentisse frio,
Mas permanecemos vegetativos de nós mesmos
E negamos nossas emoções, camuflamos nossa dor.

Para desespero de nossa alma o coração se cala
E o amor seca feito rio sem nascente!
Deixando este frio permanente!...